A importância do angiologista

shutterstock_154662227

A angiologia é a parte da medicina que estuda e trata das doenças dos vasos sanguíneos e dos vasos linfáticos. Atua juntamente com a cirurgia vascular, sendo este o modo de tratamento para as doenças detectadas pelo médico especializado. No Brasil, a angiologia não é reconhecida por si só, sendo unificada à Cirurgia Vascular. Em outros países como a França, porém, é conectada à Cardiologia. Embora, haja registro de termos referentes às doenças cardiovasculares no Papiro de Ebers, datado de 1.550 a.C, hoje em dia a especialidade é pouco reconhecida. Por isso, no post de hoje, vamos tratar a importância do angiologista.

O que faz um angiologista?

O médico especializado em angiologia é responsável por tratar de doenças vasculares que não necessitam de tratamento por meio de cirurgia, enquanto o cirurgião vascular realiza operações para corrigir artérias, veias e vasos linfáticos. As duas profissões estão sempre relacionadas.

Mas, de que modo a angiologia e a cirurgia vascular estão relacionadas?

Angiologia e Cirurgia Vascular

O médico especializado em angiologia é responsável por tratar de doenças vasculares que não necessitam de tratamento através de cirurgia, enquanto o cirurgião vascular realiza operações para corrigir artérias, veias e vasos linfáticos. As duas profissões estão sempre relacionadas.

Onde entra a cardiologia nestas relações?

Este será o tema do post de quinta-feira. Combinado?

40% da população adulta brasileira apresenta alguma doença crônica

101514753

Vejam que dado mais preocupante em relação a saúde…

“Cerca de 40% da população adulta brasileira, o equivalente a 57 milhões de pessoas, sofre de pelo menos uma doença crônica não transmissível (DCNT), segundo dados inéditos da Pesquisa Nacional de Saúde (PNS). O levantamento, realizado pelo Ministério da Saúde em parceria com o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) em 2013, revela que essas enfermidades atingem principalmente o sexo feminino (44,5%).” – A informação foi retirada da matéria de Juliana Conte, publicada no site do Doutor Drauzio Varella. (Clique aqui para ler)

Entre as doenças crônicas não transmissíveis estão a hipertensão arterial, o diabetes, o colesterol elevado e a depressão.

Esses dados são realmente alarmantes. Já passou da hora de repensarmos nos nossos hábitos! A saúde e a qualidade de vida merecem mais atenção e cuidado!

Vale lembrar que essas doenças estão associadas ao consumo abusivo de álcool, ao tabagismo, ao excesso de peso e a má alimentação e ao sedentarismo.

Precisamos assumir a nossa responsabilidade começando com pequenas mudanças de hábito, como utilizar as escadas ao invés de elevadores, incluir mais frutas e verduras em nossas refeições e o principal: encarar o dia-a-dia e os problemas da vida com bom humor!

Informe da SBACV-SP sobre Aneurisma da Aorta na Revista Veja!

Veja a página da SBACV-SP (Sociedade Brasileira de Angiologia e Cirurgia Vascular de São Paulo) que será divulgada na VEJA SP – capital e interior neste final de semana. Este projeto, idealizado pela Regional São Paulo, inclui 7 matérias que devem ser publicadas quinzenalmente, ou com intervalos maiores dependendo da logística da própria editora.

A próxima matéria versa sobre Aneurisma de Aorta. Nas edições anteriores, foram apresentados temas como doença carotídea, TVP e pé diabético. Nas próximas matérias os temas serão: insuficiência venosa, , obstrução arterial periférica e linfedema.

unnamed

Meia elástica errada pode piorar ao invés de ajudar!

2841_Ampliadao são raros casos de pessoas que compram meias elásticas de compressão sem orientação médica. O resultado deste fato é que muitos se queixam de que a meia está apertada demais e logo desistem de usá-la.

Por isso, o ideal é contar com a ajuda de um especialista. Apenas um angiologista ou cirurgião vascular poderá prescrever a medida adequada para cada paciente. Embora a meia auxilie a diminuir o cansaço nas pernas, ela não deve ser usada por pessoas que não apresentem problemas de circulação venosa. Segundo o doutor Luiz Marcelo Aiello Viarengo, apesar de ser apertada, a meia elástica possui características de compressão, chamada de compressão graduada, que favorece muito a circulação venosa, protegendo o paciente em relação às varizes e aos sintomas delas decorrentes.

A compressão ajuda a bombear o sangue nas pernas com mais velocidade, melhorando o retorno do sangue para coração. Assim, a meia elástica não deixa a perna inchar, causando sensação de alívio e maior conforto.

No entanto, é preciso atenção: nunca compre a meia apenas pelo tamanho do pé! Lembre-se: a meia elástica de compressão é como um antibiótico. O médico é o único capaz de analisar corretamente qual deve ser a compressão da meia, tamanho e modelo, para que possam trazer resultados efetivos no tratamento.

Memória ruim, sobrepeso e depressão? Fique atento à tireoide!

shutterstock_180829175

Atenção: estes mesmos sintomas são comuns em quem está estressado, ansioso ou agitado demais. É por isso que muitas pessoas passam despercebidas pelos sintomas e deixam de tratar doenças que podem ter graves consequências.

A tireoide é uma glândula localizada no mescoço que produz os hormônios tiroxina (T4) e triiodotironina (T3) que, entre outras coisas, regulam o metabolismo. O mau funcionamento desta glândula pode fazer com que ela produza estes hormônios em excesso ou que não os produza suficientemente.

Quando há produção exagerada dos hormônios T4 e T3, chamamos de hipertireoidismo, doença que causa queda brusca e repentina de peso, insônia, queda de cabelos, aceleração cardíaca e até tremores.

Já o hipotireoidismo, causado pela deficiência dos mesmos hormônios, pode provocar o aumento de peso, inflamações pelo corpo, constipação, aumento do colesterol e até problemas no coração!

Está com alguns destes sintomas? Pode não ser nada, mas não custa dar uma conferida com um médico especialista!

Como não ficar doente com as chuvas de verão?

shutterstock_143410585

Nos últimos meses do ano passado, só se falava sobre a falta de água e os problemas decorrentes dela (que ainda hoje permanecem). Mas janeiro também é um mês de muitas chuvas, o que pode acarretar em alguns riscos para a saúde.

Para quem mora em grandes cidades o perigo é ainda maior com as enchentes. A água da chuva pode trazer várias consequencias desagradáveis apenas ao entrar em contato com ela.

shutterstock_198180749

Veja dicas do que não fazer durante as chuvas de verão:

  • Evite tomar chuva: está calor, a chuva refresca, mas sem o devido cuidado você pode pegar um resfriado. Sim, mesmo no verão. Se for inevitável, mantenha-se seco e aquecido o quanto antes.
  • Evite andar descalso: a água da chuva pode ser condutora de diversas doenças, como dengue, leptospirose e hepatite A. Não beba água da chuva pelos mesmos motivos.
  • Deu enchente? Caso você seja vítima de um temporal, assim que ele for embora desinfete tudo o que foi atingido pela chuva com água sanitária, para evitar doenças.

Mantenha uma alimentação saudável no verão

shutterstock_209176831

Durante o verão, fora as festas de fim de ano, sempre ficamos mais propensos a cair na tentação do sorvete e outras sobremesas geladas que fazem tanto sucesso nessa época do ano.

Tomando bastante água gelada, por exemplo, é possível se manter hidratado e sentir menos fome. É possível ainda revesar entre água mineral, água de coco, suco de frutas naturais e chás gelados. Evite refrigerantes e sucos industrializados, que contém uma quantidade muito grande de açucar em suas composições.

Em relação à comida, consuma alimentos leves, como legumes, verduras e frutas. Além disso, alimentos alaranjados, como cenura, laranja e mamão e verde escuro, como couve ou espináfre são super ricos em antioxidantes.

Não precisa deixar de comer tudo o que é gostoso nesta época do ano, como sorvete e frituras, basta apenas diminuir seu consumo. Assim, manter uma alimentação saudável fica fácil em qualquer época do ano!

3 doenças que podem te prejudicar no verão

shutterstock_155976962

Férias, altas temperaturas e até chuvas fazem parte do verão, especialmente em janeiro. A época é perfeita para fazer mais atividades ao ar livre, mas é preciso cuidado para não ser vítima de algumas doenças típicas da época.

Veja algumas doenças que são bem frequentes nesta epoca do ano e como você pode fugir delas com apenas alguns cuidados básicos;

Desidratação

No verão, as pessoas perdem até 2,5 litros de água por dia, por causa do suor, urina ou fezes. Ao perder ainda mais água do que isso, ocorre a desidratação. A boca fica rachada, os olhos ressecam e não se urina com tanta frequência. A saída é beber muito líquido e fugir do sol até que passe.

shutterstock_103698122

Micose

Como suamos muito nesta época, a pele fica mais úmida e corremos mais chances de acumular microorganismos presentes em piscinas e praias. A doença pode causar vermelhidão e coceiras nas virilhas, pés e unhas. Ao perceber os sintomas, procure um médico geral ou dermatologista.

Insolação

Esta é uma das doenças mais comuns no verão. Depois de passar o ano todo preso no escritório, muitos se empolgam para aproveitar o sol durante as férias e acabam passando tempo demais expostas às radiações solares. O mais comum é que isso cause queimaduras, mas também pode ocorrer tontura, bolhas e até nauseas. Evitar é fácil: basta usar filtro solar e evitar o sol entre as 10h e as 15h.

Seguir

Obtenha todo post novo entregue na sua caixa de entrada.

Junte-se a 375 outros seguidores

%d blogueiros gostam disto: