Arquivo da tag: como tratar

Saiba mais sobre o colesterol

Você certamente já deve ter escutado que “determinada pessoa estava com o colesterol alto”. Mas, você sabe o que é este problema?

O colesterol é um lipídeo insolúvel, que, quando em excesso, é responsável por algumas doenças cardiovasculares. No entanto, esse lipídeo exerce funções importantes em nosso organismo, como fabricação de vitamina D, produção de hormônios sexuais e participação no crescimento e regeneração celular. Ficou confuso? Para entender melhor, saiba que ele é dividido em dois tipos: o colesterol bom e o colesterol ruim.

O colesterol bom, também chamado de HDL (lipoproteínas de alta densidade – High-Density Lipoproteins, faz bem para o organismo e o protege, reconhendo todo o colesterol ruim depositado nos vasos sanguíneos, para depois ser eliminado pelo fígado.

O colesterol ruim, também chamado de LDL (lipoproteínas de baixa densidade – Low-Density Lipoproteins), deposita-se nas paredes das artérias, deixando-as mais estreitas, o que dificulta a passagem do sangue e pode levar ao entupimento da artéria. O colesterol está associado ao excesso de peso, má alimentação, diabetes, pressão alta e tabagismo.

shutterstock_111443774

Causas

A genética é o fator determinante para a presença de colesterol em excesso. Uma pessoa pode ter uma dieta rica em gorduras e seu nível de LDL ser baixo, pois o fígado consegue eliminar o excesso de colesterol de forma correta. Já pessoas que apresentam uma dieta balanceada podem ter o nível de LDL alto, porque o fígado não consegue excretar bem as gorduras. Por esse motivo é errado dizer que somente pessoas obesas têm colesterol alto.

Vale reforçar que tanto o HDL quanto o LDL fazem parte de nosso organismo. 70% do bom colesterol é sintetizado, enquanto que 30% é adquirido na alimentação. Por isso, saiba que existem alimentos que – além de combaterem o colesterol ruim – ainda aumentam o nível do bom colesterol no sangue, sendo aliados das pessoas que sofrem com o excesso de LDL.

Mas, isso é assunto para o próximo post!

Esperamos você na quinta-feira!

Até lá!

 

Claudicação Intermitente: já ouviu falar?

shutterstock_110888123

É a dor que aparece geralmente na panturrilha (batata da perna) durante uma caminhada.  Acontece pela má circulação do sangue nas pernas em decorrência do “entupimento” progressivo dos vasos arteriais. Esse entupimento ocorre pelo aparecimento e crescimento de placas de gordura na parte interna das artérias, diminuindo seu tamanho, e assim, menos sangue e oxigênio conseguem ser transportados para os músculos  das pernas, o que causa  dor ao caminhar.

SINTOMAS

Esta dor é intermitente surgindo durante a caminhada  e costuma desaparecer quando a pessoa para de andar por alguns minutos, mas retorna quando volta a caminhar. É um sintoma muito comum em quem têm problemas de circulação arterial nas pernas.

  • Dor e fadiga nos músculos da perna induzida por exercícios físicos, como a caminhada, por exemplo
  • Com o passar do tempo, a dor começa a aparecer depois de andar cada vez menos, mas mesmo assim passa com o descanso
  • Nos casos mais graves, a dor costuma piorar à noite, obrigando a pessoa a ficar com o pé para baixo para tentar minimizar o problema

TRATAMENTO

Nos casos mais graves, a falta de sangue e de oxigênio é tão grande que partes da perna ou do pé (no começo os dedos dos pés e depois podendo avançar para o peito do pé e o restante da perna) podem gangrenar se a pessoa não for tratada adequadamente. Nestas circunstâncias o tratamento é cirúrgico.

Nos casos mais leves e sem risco de perda do membro, existem evidências favoráveis quanto ao uso de exercícios para o tratamento da doença e por isso, recomenda-se um programa de caminhadas, sempre supervisionado por um médico especialista.

Úlceras Venosas: o que são e quais as causas?

shutterstock_98769797

Úlceras Venosas são feridas causadas por varizes ou por trombose venosa profunda. Em geral são decorrentes de um aumento da pressão venosa na perna, que surge em virtude da dificuldade do sangue retornar dos membros inferiores para o coração. Isso faz com que o sangue fique represado nas pernas, gerando um processo inflamatório, que leva a formação da ferida. Em geral, a úlcera venosa é uma ferida de forma irregular que ocorre próximo ao tornozelo, superficial no início, mas que pode se tornar profunda. Este problema de saúde também traz grande impacto negativo na vida social, afetiva e emocional do paciente.

Sintomas

A dor é sintoma frequente e de intensidade variável, não sendo influenciada pelo tamanho da úlcera, já que lesões pequenas podem ser muito dolorosas, enquanto as grandes podem ser quase indolores. Em geral, a dor piora ao final do dia e melhora com a elevação das pernas.

  • Dor, cansaço, sensação de peso nos membros inferiores
  • Coceira nas áreas onde há inflamação da pele

Tratamento

Vai depender fundamentalmente da causa da úlcera. Em todos os casos, se o paciente ficar em repouso absoluto, com as pernas elevadas, elas podem  cicatrizar sem o uso de medicamentos. Uma das principais medidas é manter a ferida limpa e evitar o uso de quaisquer pomadas, cremes, ou curativos sem orientação médica.

Atualmente, estão disponíveis vários tipos de curativos que agem mantendo condições adequadas para a cicatrização, mas qualquer um deles deve estar associado ao repouso e à compressão, feita por ataduras ou meias elásticas que, assim como os curativos, devem ser indicadas por um médico especialista. Para analisar a necessidade de um tratamento cirúrgico é realizado um exame chamado ultrassom Doppler venoso, que identifica a situação e auxilia o médico na decisão.

VASINHOS: saiba a origem e como tratar

shutterstock_161274404

O verão bate à porta e traz com ele todos os atrativos da estação mais quente do ano: sol, mar, piscina!

É nesta época também que as mulheres abusam dos vestidos, dos shorts, bermudas e saias. Mas, para fazer bonito por aí, é preciso estar com as pernas em ordem. Um dos grandes vilões da beleza feminina são os temidos vasinhos. Contudo, você sabe como eles surgem?

As telangectasias e microvarizes, conhecidas popularmente como vasinhos, surgem quando vasos muito finos, localizados na parte mais superficial da pele, são submetidos a alguma pressão e suas paredes se dilatam. Desse processo resultam ramos avermelhados ou arroxeados muito superficiais  e anti-estéticos.

TRATAMENTO

Atualmente, a medicina dispõe de diversos métodos e técnicas, como o tratamento a laser,  radiofrequência e escleroterapia química, entre outros. A escolha da forma mais apropriada para realizar o procedimento é de competência exclusiva do médico, que avaliará cada caso. Já o período do tratamento varia conforme o perfil do paciente e do grau do problema.

SINTOMAS

A busca pelo tratamento pode ser estética, mas o caso pode ser decorrente de algo mais sério. Fique atento para estes alertas:

  • Edemas (inchaço)
  • Formigamentos
  • Sensação de peso e inquietação nas pernas
  • Dores e câimbras
  • Pigmentação na região do tornozelo