Bate papo com o doutor!

O doutor Luiz Marcelo está entre os profissionais que realmente ama o que faz. Ele, que se especializou em  Cirurgia pela Universidade Estadual de Campinas – UNICAMP, possui título de Especialista em Angiologia e Cirurgia Vascular pela Sociedade Brasileira de Angiologia e Cirurgia Vascular (SBACV). Todas essas qualificações são importantes, mas além disso, quem cuida da saúde precisa ter algo mais do que formação. É preciso ter carinho, cuidado e vontade de ajudar.

Para Luiz Marcelo, cada  pessoa possui uma história única, uma vivência única e um sentimento único.Para ele, cada uma tem um sonho, um olhar para a vida,  uma alegria, uma tristeza e um  sofrer que não se compara a de nenhuma outra pessoa. A compreensão dessa individualidade permite enxergar cada um de forma única. E, segundo ele,  essa forma de se relacionar, respeitando a individualidade e as necessidades de cada um é o que torna todas as suas experiências interessantes. Nessa breve entrevista de hoje, vocês vão poder saber um pouco mais sobre este profissional da medicina.

O que o levou a escolher a medicina?

Não me lembro exatamente em que momento de minha vida eu tomei a decisão de que iria ser um médico. Também não me lembro se em algum momento de minha vida eu quisesse ser outra coisa que não um médico.  A impressão que eu tenho é que esse desejo de ser um profissional da medicina já nasceu comigo e, tudo no meu entorno e ao longo de minha vida, conduziu-me na direção da conquista desse objetivo.  Mas, isso não quer dizer que tenha sido fácil.  Entretanto, agradeço a Deus por todas essas dificuldades e pelo privilégio que tive de enfrentar todas essas batalhas e vencê-las.  Cada uma delas me foi  útil para moldar o meu caráter e me tornar uma pessoa melhor.  Faria tudo novamente, se fosse preciso.

O que você mais gosta em sua profissão?

Eu adoro tudo em minha profissão, mas o que mais me envolve e comove é o relacionamento com as pessoas, principalmente com as que mais sofrem e olham para o médico como sua única possibilidade de obter alívio para o seu sofrimento. Nem sempre somos capazes de fazer isto, mas quem sofre acredita nisto e nós, médicos, temos a responsabilidade e o compromisso moral de minimizar o sofrimento de quem quer que seja, para que a pessoa possa passar os seus dias com dignidade.

Como se sente ao ajudar outras pessoas a viver com mais saúde e bem estar?        

Eu penso que qualquer indivíduo, ao ajudar um semelhante e ao fazê-lo de coração, beneficia-se mais do que a pessoa que foi ajudada. É o momento em que ser humano ganha uma dimensão Divina e se aproxima do Criador. Quando, como médico, ajudo meu semelhante, o faço com o maior amor e dedicação que um ser pode ter por outro, colocando o melhor de minha capacidade profissional e o melhor do meu conhecimento a serviço da saúde física, mental e emocional do outro.  Quando agimos com integridade e honestidade, em prol do outro, o maior beneficiado somos nós mesmos e, a certeza de ter cumprido bem o seu trabalho, nos traz paz ao espirito.

Anúncios